Campanha Dezembro Laranja

dez 03

Câncer de Pele
REDAÇÃO: Guia de Vilas Saúde | ESPECIALISTA: Dr. André Bacellar | ESPECIALIDADE: Oncologista do NOB| REGISTRO: 24168

O câncer de pele é o mais frequente no Brasil, correspondendo a cerca de 30% das malignidades diagnosticadas. Em 2016, foram estimados aproximadamente 180.000 casos novos no Brasil segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer). Podemos dividi-los em dois grandes grupos, os não-melanoma, menos agressivos e que correspondem a grande maioria;  e o melanoma, mais agressivo e que representa cerca de 3% dos tumores de pele.

A importância do diagnóstico e tratamento precoce do câncer de pele deve ser sempre lembrado e reforçado na população. A grande maioria dos tumores são facilmente curáveis com simples procedimentos cirúrgicos, principalmente quando diagnosticados em fases iniciais. Os indivíduos de pele clara e com muitas manchas estão sob maior risco, mas com o alto índice ultravioleta na nossa região tropical, todos estamos sob risco. Devemos nos atentar para as diferentes formas que se apresentam os sintomas: lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente, sem cicatrizar; ou pinta preta ou castanha que muda sua cor, textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho.

NOVOS TRATAMENTOS REVOLUCIONARAM O PROGNÓSTICO DO MELANOMA NOS ÚLTIMOS 5 ANOS.

O carcinomas basocelulares e epidermóides, principais representantes do grupo não-melanoma, têm baixo potencial para disseminação pelo corpo (as ‘temidas’ metástases), mas podem invadir localmente os tecidos adjacentes a pele se não tratados precocemente e eventualmente requerem cirurgias grandes e mutiladoras para seu controle. Já os melanomas, aqueles originados principalmente das pintas escuras, já mostram potencial para gerar metátases até mesmo com apenas 1 milímetro de invasão profunda da pele. Na Bahia, é importante lembrar de um tipo especial de melanoma, frequente em afrodescendentes, denominado acral, por surgir nas extremidades (planta dos pés, palma das mãos ou mesmo embaixo das unhas como uma linha escurecida), podendo ser confundidos com doenças benignas e negligenciados na fases iniciais com mais chance de cura.

A oncologia avançou muito no tratamento dos cânceres de pele avançados, que falharam ao tratamento inicial e invadiram outros órgãos. O melanoma é notoriamente resistente a quase todos os tipos de drogas quimioterápicas e pouco tínhamos a oferecer ao paciente até meados de 2010. A descoberta de tratamentos personalizados contra determinadas mutações do tumor, as chamadas terapias-alvo e o advento de uma nova era de imunoterápicos, chamados de ‘inibidores de checkpoint’, levaram a aprovação recente pela ANVISA de pelo menos 7 novas drogas que revolucionaram o cenário da oncologia cutânea. Em 2010, a expectativa de um paciente com melanoma metastático de estar vivo em 3 anos não passava de 12%; hoje, com as melhores terapias disponíveis, estima-se que este número esteja em cerca de 60%, com boa parte dos pacientes com respostas completas e potencialmente de longo prazo, uma esperança real de cura há pouco inimaginável.

Por fim, é importante lembrar que a prevenção ainda é o melhor negócio! A recomendação da Sociedade Brasileira de Dermatologia é de que usem equipamentos de proteção individual (EPI): chapéus de abas largas, óculos escuros, roupas de cubram boa parte do corpo e protetores solares com fator mínimo de proteção solar (FPS) 30. A hidratação constante também faz parte dessas medidas fotoprotetoras, sem esquecer de evitar os horários de maior insolação: das 10h às 16h. As pessoas de pele mais clara, com muitas manchas na pele ou que têm histórico importante de exposição solar sem proteção (por exemplo, mais de 2 episódios de queimaduras solares durante a infância), devem consultar-se regularmente com dermatologistas afim de detectarem precocemente aquelas manchas que devem ser retiradas, e evitar uma grande dor de cabeça no futuro!

"Você só conhece alguém quando tem a chance de caminhar junto. O resto é especulação, impressão ou imaginação!"